Nov 26, 2011

Médici recebe título de “Cidadão Araraquarense”


Deputado Edinho Silva destaca importância do ex-vice-prefeito para resolução de problemas que se arrastavam há anos na cidade

O advogado Sérgio de Oliveira Médici recebeu na noite dessa sexta-feira, dia 25, o título de “Cidadão Araraquarense”, outorgado pela Câmara Municipal. A sessão solene de entrega do título ocorreu no auditório do Centro Universitário de Araraquara (Uniara) e reuniu autoridades do mundo jurídico, políticos e amigos do homenageado. O ato foi presidido pela vereadora Márcia Lia (PT), também autora do projeto de decreto legislativo que concedeu a láurea.

Filho de professores da rede pública, Sérgio Médici, de 66 anos, nasceu em Lins e formou-se em Direito no Instituto Toledo, em Bauru. Foi também jornalista, atuando em rádios, jornais e televisão em Bauru, até ingressar no Ministério Público, em 1971. Atuou como promotor de justiça nas cidades de General Salgado, Cafelândia e Pirajuí. Em 1978 veio para Araraquara, onde, além de promotor, foi coordenador do Curso de Direito da Uniara e, no início dos anos 90, ingressou na vida pública filiando-se ao PSB.

Em 2000, foi eleito vice-prefeito na chapa encabeçada pelo atual deputado estadual Edinho Silva, reeleita em 2004. Além de vice-prefeito, foi secretário dos Negócios Jurídicos e contribuiu, com seu conhecimento jurídico, de forma decisiva, para a aquisição da área do Centro de Eventos Araraquara (Cear/Facira) do governo do Estado, para a regularização da situação do patrimônio da Ferroviária e definição do regime jurídico da Companhia Troleibus Araraquara (CTA).

Márcia Lia, amiga de Médici e que também integrou a administração Edinho, como secretária de Governo e coordenadora do Orçamento Participativo, disse ter ficado apreensiva imaginando que os demais vereadores pudessem considerar que a homenagem ao ex-vice-prefeito tivesse uma conotação pessoal. “Mas, na Câmara, apesar das divergências políticas, a aprovação foi unânime.

Aliás, todos os vereadores demonstraram surpresa ao saber que o Sérgio não nasceu em Araraquara, tal o seu amor por essa cidade e a sua dedicação na defesa dos interesses da nossa comunidade”, afirmou a vereadora.

O deputado e ex-prefeito Edinho Silva lembrou de que sua amizade com Sérgio Médici começou muito antes de assumir a Prefeitura de Araraquara. Segundo o parlamentar, quando o convidou para ser a candidato a vice-prefeito, teve convicção de que o homenageado é, sobretudo, alguém que acredita no trabalho como promotor da justiça social. “Quando convidei o Sérgio e ele aceitou, estava convicto de que poderíamos fazer um bom trabalho para mudar para melhor a vida da população de Araraquara. Médici fez a opção de estar comigo na apresentação de um projeto político para nossa cidade quando tinha 4% das intenções de voto”, revelou o deputado. “Jamais vou esquecer a parceria que construímos lastreada pela amizade”.

O deputado agradeceu a lealdade do ex-vice-prefeito e acrescentou que a probidade, a retidão de caráter, a dedicação de Sérgio Médici à família e o desapego ao poder o fazem uma pessoa especial. “Fico muito feliz por ter sua amizade, pois a verdadeira amizade se faz longe do poder, sincera, honesta, não circunstancial”, disse.

Ao falar em nome da reitoria da Uniara, o coordenador do Curso de Direito, Fernando Passos, destacou a importância de Sérgio Médici para o crescimento da universidade. “O professor Médici, como o chamamos aqui, tem uma característica que o destaca da maioria. É franco, direto, incisivo, mas extremamente justo em suas opiniões e decisões”, afirmou.

Em breve discurso, Sérgio Médici agradeceu, inicialmente à esposa Irani, aos filhos Marcelo Otávio, Sérgio Augusto e Cláudio Henrique, noras e netos, que sempre o apoiaram tanto na carreira jurídica quanto na política.

Resgatou a veia jornalística e fez uma breve crônica de sua vida, lembrando que chegou em Araraquara em 1978, quando Geisel prometia uma lenta volta à democracia, mas tinha na Casa Civil o general Golbery do Couto e Silva. Lembrou que o Brasil tinha 116 milhões de habitantes e que a população de Araraquara era de 110 mil pessoas.

“A cidade tinha os ônibus elétricos, e muito se ouvia nas ruas sobre o Jumbo Eletro e a farmácia do Porsani. O Fórum tinha três juízes e três promotores, eu fui nomeado como o quarto promotor”. Em tom de humor, disse que o título é mais por antiguidade que por merecimento. “São 33 anos, metade da minha vida morando nessa cidade, por isso, as pessoas se surpreendem quando falo que não nasci aqui”, disse Médici.

Também compareceram à sessão solene a desembargadora do TJ São Paulo, Sandra Galhardo Esteves, o presidente da OAB Araraquara, João Luiz Ultramari, o reitor da Uniara Luís Felipe Cabral Mauro, o secretário dos Negócios Jurídicos, Ricardo Santos, representando o prefeito Marcelo Barbieri, o secretário da Assistência Social, José Carlos Porsani, juízes de Direito, promotores de Justiça, vereadores e amigos do homenageado.

    Compartilhe

Newsletter